domingo, 13 de maio de 2012

Pra você, Mãe!

Nesse domingo nublado, dia das mães, mexendo nos meus arquivos, achei essa carta que escrevi no aniversário da minha mãe ano passado. Naquele dia, fingi que não lembrava de nada, dei um presente e esta carta surpresa, foi muito bom! Eis a carta:



São Paulo, 23 de agosto de 2011

Pensou que esqueci, não é?  
Parabéns pelo seu dia!
Não poderia me esquecer da pessoa que nunca esquece de mim. Nesses dias estive refletindo sobre minha vida e concluí que o mais importante não são os bens materiais, pois os maiores tesouros dessa vida nós não podemos enxergar.
Nunca tivemos o hábito de dar presentes, mas aprendi que é muito bom presentear, ainda mais quando somos realmente surpreendidos.
Uma vez o Pai me disse que “as melhores homenagens devem ser prestadas em vida”. E é verdade, pois só vivemos uma vez. Sei que não sou o melhor filho do mundo, mas não posso deixar de reconhecer tudo o que você faz por mim. O cuscuz em cima da hora, o leite fervido, o mel “delicioso” para tosse, entre outras coisas...
Meu coordenador uma vez disse uma frase que eu fiz questão de guardar: “Corra com quem corre com você”. E eu sei que com você sempre poderei contar.
Este presente é apenas uma lembrança e eu sei que um dia ele acabará, mas saiba que meu sentimento por você é eterno.  Nossa família tem problemas, mas nosso amor é maior que todos eles!



Um beijo do Rafael.






terça-feira, 1 de maio de 2012

Sr. Destino

Um dia, estava eu pensando acerca de uma situação que ocorrera comigo e acredito que você, caro leitor, um dia já passou por isso também. Sabe quando você gosta de uma pessoa, e ela nem sabe que você existe? Ficamos imaginando como seria bom se ela nos desse atenção, ou pelo menos uma chance para provarmos que realmente poderíamos a fazer feliz.
Ao pensar nisso, pergunto a Deus o que será que posso fazer para ela olhar para mim? Nada. Essa é a resposta, nada! Observei com o tempo, que se aquela pessoa não "olha" para você, é porque esta não tinha o "seu perfil", isso é o começo para aceitar o famoso não...
Uma vez, me apaixonei por uma garota e até chegamos a trocar uns beijos, mas eu não estava afim de "ficar por ficar". Enfim, declarei minhas reais intenções, porém ela me disse que não estava afim de namorar naquela época e só queria "curtir" a vida. Fiquei pensando, ué, não podemos curtir a vida quando namoramos? Desse dia em diante, comecei a entender mais o significado da expressão popular "se for para ser, será", que quer dizer: não insista quando a pessoa resiste de alguma forma, ou quando ocorrem fatos no início da relação que comprometem a estrutura do relacionamento.
Mais tarde, conheci um pouco melhor essa pessoa e percebi ela era muito materialista, não passou muito tempo até ficar com um cara, que fez um filho nela e sumiu! Cheguei a triste conclusão de que algumas mulheres são desprovidas de discernimento e tomam cada atitudes em suas vidas que, sinceramente, não consigo compreender (acho que nem elas mesmas entendem).
Vejo por esse mundo tantas pessoas remando contra a maré, investindo suas "estalecas" em relacionamentos em que, às vezes nem mesmo elas acreditam, isso tudo é medo de ficar sozinho? Sou adepto do velho jargão: "antes só do que mal acompanhado". 
Às vezes, sem que percebamos, o destino nos livra de situações que no início, não entendemos o porquê, mas com o passar do tempo, temos a conclusão de que aquela foi a melhor saída para as nossas vidas. Que aquelas pessoas que um dia imaginamos ao nosso lado não eram a melhor opção e o que acredito ser a pior conclusão no meio de tudo isso: nem sempre sabemos escolher o que é melhor para nós mesmos.